São Paulo pode antecipar a vacinação

Politica

A vacinação no estado de São Paulo começará dia 25 de janeiro, coincidentemente data do aniversário da cidade paulista, porém essa previsão do governador João Dória, poderão ser antecipados caso o governo federal comece com o plano nacional de vacinação autorizada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e liberada ministério da saúde. 

Quem afirma essa possibilidade é o coordenador executivo do centro de contingência do coronavirus de São Paulo, João Gabbardo, “O nosso plano é começar no dia 25, se o ministério da saúde antecipar a vacinação, claro que o estado São Paulo irá acompanhar o calendário do ministério da saúde”. 

A vacina da Coronavac pode ser comprada pelo governo federal, mas pode não ser utilizada no dia 25 como previsto no calendário paulista dentro do plano nacional.  

“Ainda que o governo federal não comece a imunização em território nacional, o Estado tem parte dessas vacinas em torno de 20% que permanecem em São Paulo, são suficientes para iniciar a vacinação” reflete o coordenador do executivo. 

Dr. Gabbardo aponta que o estado não vai impedir que outras vacinas sejam aplicadas, mas que poderá negociar com o governo federal caso não enviem as doses para São Paulo, “Temos 2 milhões de doses que deveriam vir para o estado de São Paulo, mas o fato de São Paulo ter a vacina do Butantã, não significa que iremos impedir que todas as outras vacinas que forem distribuídas pelo ministério da saúde, mas que também sejam para o estado de São Paulo”. 

Nesta quinta-feira (08), foi atualizado o plano São Paulo, o governador João Dória decidiu manter a cidade metropolitana na fase amarela, recuando para a fase laranja as cidades: 

Presidente Prudente; 

Marilia; 

Sorocaba; 

Ribeirão Preto; 

MUDANÇAS NAS REGRAS 

Com aumento de casos devido as aglomerações nas festas de final de ano, o governador mudou algumas regras para as cidades passarem para a fase amarela e verde, a cidade que estiver na fase laranja o comércio poderá ficar aberto até as 20 horas, já na fase amarela até as 22 horas. 

Já da fase amarela para verde é necessário a internação abaixo de 40% a cada 100 mil habitantes e de mortes de 5% por 100 mil. 

Gostou? Compartilhe!